• EmMarketing Digital

    Como geramos 170% de retorno ao cliente em um mês

    Se investir em marketing digital já é um bom negócio, imagina quando a campanha gera 170% de retorno em apenas um mês! Esse foi o caso com nosso cliente Fazenda Barranco Alto.

    Ok, mas como conseguimos alcançar esse número tão mágico? Resumindo, foi basicamente assim:

    Via de regra, quando a configuração de uma campanha no Google Ads é feita, precisa-se definir alguns pontos iniciais, são eles:

    • Públicos & Interesses
    • Palavras-chave
    • Anúncios

    A campanha foi estruturada nos cinco pontos da jornada do consumidor, e em três línguas distintas: Inglês, alemão e português.
    O desafio inicial foi saber como funcionavam os hábitos dessas pessoas que moram fora do país, além de escrever de maneira correta todas as palavras-chave. Outro desafio foi buscar interesses mútuos entre o pessoal dessas nações, e por fim saber se haveria muita perda de contato ou não.

    No final do período a campanha performou 170,5%, o que foi muito mais que o esperado, o que nos mostrou que houve um grande interesse do público. Além disso, conseguimos fazer com que apenas seis pessoas se evadissem sem interagir com algum botão de contato.
    Ou seja, a campanha foi um sucesso total!

    meme-digital-fazenda-barranco-alto-marketing-digital

    Se você ainda tem dúvidas se vale a pena ou não investir em Marketing Digital, eu te pergunto:
    quando você tem interesse por algum produto ou serviço, onde você busca essa informação? Na internet ou na lista telefônica?

    E se você não tem mais dúvidas da eficiência do Marketing Digital, conheça mais sobre nosso serviço de Links Patrocinados. Esse foi o caminho traçado para chegarmos ao retorno de 170%.

    Redação Meme Digital
    Imagens/Reprodução

  • EmTechnology

    Campinas é a cidade mais inteligente e conectada do Brasil

    O Ranking Connected Smart Cities, realizado pela consultoria Urban Systems, é um relatório que traz indicadores que qualificam os locais mais inteligentes e conectados do país e mapeia as cidades com maior potencial de desenvolvimento por meio de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade.

    Campinas lidera o topo da lista deste ano e é a primeira vez que uma capital não fica em primeiro lugar. São Paulo ficou com a segunda posição e Curitiba ficou em terceiro lugar. São avaliados 70 indicadores no total, separados em 11 tópicos: mobilidade e acessibilidade, meio ambiente, urbanismo, tecnologia, saúde, segurança, educação, empreendedorismo, energia, governança e economia.

    Confira as 20 primeiras colocadas:

    1. Campinas (SP)
    2. São Paulo (SP)
    3. Curitiba (PR)
    4. Brasília (DF)
    5. São Caetano do Sul (SP)
    6. Santos (SP)
    7. Florianópolis (SC)
    8. Vitória (ES)
    9. Blumenau (SC)
    10. Jundiaí (SP)
    11. Campo Grande (MS)
    12. Niterói (RJ)
    13. Belo Horizonte (MG)
    14. Rio de Janeiro (RJ)
    15. Joinville (SC)
    16. Itajaí (SC)
    17. Balneário Camboriú (SC)
    18. São Bernardo do Campo (SP)
    19. Palmas (TO)
    20. Porto Alegre (RS)
  • EmMeme dicas

    10 rolês em São Paulo | Setembro 2019

    Setembro começou com tudo! Quer dar rolê em São Paulo e ainda não tem nada anotado na agenda? Então já pode se programando porque fizemos uma listinha especial para você! Confira:

    1. A Utopia na Era da Incerteza | Teatro

    Comemorando 25 anos de trajetória, a Cia. Lúdica ocupa o Centro Cultural Tendal da Lapa com o projeto A Utopia na Era da Incerteza, composto por uma instalação cenográfica com atividades sensoriais e espetáculo teatral. A Utopia na Era da Incerteza tem como inspiração o pensamento do sociólogo polonês Zygmunt Bauman sobre o seu conceito a respeito do termo “líquido”, o qual sinaliza o mundo contemporâneo como o reflexo de uma sociedade líquida, em que praticamente tudo é descartável, volátil, nada é feito para ser sólido. A instalação cenográfica está dividida em quatro zonas em que se amalgamam elementos da linguagem do teatro com as artes visuais. O público vivencia 4 atividades: experiência sensorial artística de distopia (jogo distópico), experiência sensorial artística de utopia (jogo utópico), espetáculo teatral Utopia em uma noite de inverno, finalizando o percurso na Ágora Contemporânea, onde poderá, além de observar todos os vestígios do percurso e da encenação.

    Elenco/Direção:
    Pesquisa e direção de produção: Deborah Correa
    Dramaturgia: Paulo Drumond
    Direção de atores: Marcya Harco
    Atores criadores Cia. Lúdica: Samara Chedid e Tatiane Vaz
    Atores criadores convidados: Afonso Braga, Alessandra Reis, Jakeline Lima, Luís Manarelli, Pablo Andrés, Silvia Grazy, Willian Gama e Zu Aguiar.

    🔹 Quando? até 5 de Setembro; Terça a Quinta, das 14h às 16; Sábados (duas vezes por mês), às 18h.
    🔹 Onde? Espaço Cultural Tendal da Lapa (Oeste)
    🔹 $$$? Grátis

    2. Cinefantasy | Festival de Cinema

    Em sua nona edição, o Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico apresenta entre os dias 3 e 8 de setembro em SP, 119 filmes de 26 países. Confira a programação completa do festival no site do Cinefantasy. As sessões são gratuitas, os ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência.

    🔹 Quando? De 3 a 8 de setembro (Diversos horários)
    🔹 Onde? MIS – Museu da Imagem e do Som – Av. Europa, 158, Jd. Europa
    🔹 $$$? Grátis

    3. O lugar mais escuro é embaixo da luz | Dança

    “O lugar mais escuro é embaixo da luz” conta com a participação criativa e dançante de Elton Sacramento, Laura Samy e Maria Alice Poppe. Esse trabalho percorre a cena pelas escolhas e pelo olhar sensível de cada dançarino, por suas proporções, distâncias e atenções tecidas no mover. Uma via de acesso que permite-nos perceber humor e inquietude numa comunicação cênica firmada por informações momentâneas do olhar. Enxergar é sempre uma ação agitada que nesse campo de atenções, torna-se parte de uma consciência física e instintiva, percorrida por anseios, ritmos e hábitos.


    FICHA TÉCNICA
    Encenação e direção: João Saldanha
    Criação: Elton Sacramento, João Saldanha, Laura Samy e Maria Alice Poppe
    Dançarinos: Elton Sacramento, Laura Samy e Maria Alice Poppe
    Trilha incidental: Sacha Amback.
    Produção: Corpo Rastreado
    Duração: 75 minutos

    🔹 Quando? De 03/09 a 09/09
    🔹 Onde? Sesc Pinheiros | Espaço Expositivo (2º andar)
    🔹 $$$? De R$7,50 a R$20

    4. Neste Mundo Louco, Nesta Noite Brilhante | Teatro

    Enquanto aviões decolam e aterrissam em várias partes do mundo, a rotina da Vigia do KM 23 daquela rodovia brasileira é alterada pela presença de uma garota que delira, largada no asfalto após ser violentada nesta noite cheia de estrelas. Débora Falabella e Yara de Novaes interpretam as duas personagens principais. Em cena, a banda boliviana Las Majas toca e dialoga com as atrizes.


    FICHA TÉCNICA
    Com Débora Falabella e Yara de Novaes
    Texto: Silvia Gomez
    Direção: Gabriel Fontes Paiva
    Banda Las Majas: Mayarí Romero, Lucia Dalence, Lucia Camacho e Isis Alvarado, além do diretor Marvin Montes
    Cenografia: André Cortez
    Vídeo Cenário: Luiz Duva

    🔹 Quando? De 06/09 a 06/10 (Diversos horários)
    🔹 Onde? Sesc Consolação | Teatro Anchieta
    🔹 $$$? Ingressos de R$10 a R$20

    5. Chernobyl | Teatro

    No dia 26 de abril de 1986, à 1h23min58seg, uma série de explosões destruiu o reator e o prédio do quarto bloco da Central Elétrica Atômica de Chernobyl, situado bem próximo à fronteira da Bielorrússia. A catástrofe se converteu no mais grave desastre tecnológico do século XX – e por mais incrível que possa parecer, sua história real e suas drásticas consequências permaneceram por muito tempo omitidas, negligenciadas, ou convenientemente “abafadas” pelas autoridades. As explosões lançaram na atmosfera 500 milhões Ci (Curie) de radionuclídeos, dos quais 70% caíram sobre a Bielorrússia. Após dez anos, em 1996, constatou-se que, em consequência da ação constante de pequenas doses de radiação, a cada ano crescia no país o número de doentes de câncer, de deficientes mentais, de pessoas com disfunções neuropsicológicas e com mutações genéticas. Hoje, trinta e três anos depois, ainda se pergunta o real significado de tal tragédia, que desafia a nossa visão de mundo.


    FICHA TÉCNICA
    Texto: Florence Valéro
    Tradução: Carolina Haddad
    Direção: Bruno Perillo
    Com Carolina Haddad, Joana Dória, Manuela Afonso e Nicole Cordery

    🔹 Quando? De 09/09 a 22/10 (Diversos horários)
    🔹 Onde? Sesc Consolação | Espaço Beta (3º andar)
    🔹 $$$? Ingressos de R$6 a R$20

    6. Shell Open Air | Festival de Cinema

    O Jockey Club de São Paulo recebe o maior cinema ao livre do mundo, o Open Air, que acontece durante 3 semanas.


    A programação, que vai agitar a cidade de SP em setembro, inclui a exibição de cerca de 20 filmes. Os filmes são exibidos numa super tela, que tem o tamanho de uma quadra de tênis. Além dos filmes ainda serão apresentados diversos shows musicais.


    Para saber a programação e comprar ingressos, acesse o site do Shell Open Air.

    🔹 Quando? De 12 a 29 de setembro (Quartas a sextas, sessões às 20h. Sábados, duas sessões, às 18h e às 22h30. Domingos, sessões às 18h)
    🔹 Onde? Jockey Club de São Paulo – Rua Dr. José Augusto de Queiróz, Portão 1 , Cidade Jardim
    🔹 $$$? Ingressos a partir de: R$ 50

    7. Exposição de Orquídeas | Exposição

    A primavera vem chegando e para celebrar setembro em SP, o mês das flores, a 101a edição da maior Exposição de Orquídeas de SP apresenta diversas variedades da flor e promove aulas gratuitas sobre como cultivá-las.

    Nos três dias de evento, o visitante poderá apreciar espécies raras e adquirir orquídeas, desde pequenas mudas até as flores adultas floridas.

    🔹 Quando? De 13 a 15 de setembro (Sexta e sábado, das 9h às 19h. Domingo, das 9h às 18h)
    🔹 Onde? Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Rua Galvão Bueno, 596, Liberdade
    🔹 $$$? Grátis

    8. Festival Red Bull Basement | Festival

    O Festival Red Bull Basement é um evento de tecnologia com uma programação, gratuita, que inclui bate-papos, workshops, filmes e exposições. Dentre as atrações, destaque para o planetário inédito de constelações afro-indígenas.

    O festival ocupará todos os andares do Red Bull Station, que fica em um edifício histórico no centro de São Paulo. Confira a programação completa no site.

    🔹 Quando? Dia 14 de setembro (Sábado, das 10h às 20h)
    🔹 Onde? Red Bull Station – Praça da Bandeira, 137, Centro
    🔹 $$$? Grátis

    9. Luedji Luna | Show

    A cantora e compositora baiana traz ao palco o show “Mundo”, no qual apresenta uma outra face de seu trabalho, mais voltada à música eletrônica e ao rap. São remixes e reinterpretações das músicas do álbum “Um Corpo no Mundo”, que colocou Luedji em evidência no cenário musical. O show conta com participação do DJ Nyack e participações especiais para somar com vozes do rap, com a participação de Zudizilla, Dory e Stefanie.

    🔹 Quando? Dia 14 de setembro (Sábado, às 20h)
    🔹 Onde? Sesc Itaquera | Palco da Praça de Eventos
    🔹 $$$? Grátis

    10. Karol Conka | Show

    O segundo álbum de Karol Conka, “Ambulante” , foi lançado em novembro de 2018 trazendo novidades no som da artista e reforçando sua essência. Em parceria com o produtor Boss and Drama, ela misturou de beats, flertou com outros estilos e fez um disco de rap no formato pop fortalecendo sua personalidade.

    Karol será acompanhada pelo DJ Hadji (pick-ups), que sempre se apresentou com ela. Karol vai apresentar  as novíssimas “Kaça”, “Bem Sucedida”, “Vida que Vale”, “Vogue do Gueto”, “Dominatrix”, “Suíte”, “Saudade”, “Desapego”, “Fumacê” e “Você Falou”. Sucessos como “Farofei”, “Tombei” e “É o Poder” também estarão no set list.

    🔹 Quando? Dia 15 de setembro, às 16h30
    🔹 Onde? Sesc Itaquera | Palco da Orquestra
    🔹 $$$? Grátis

    Redação Meme Digital – Agência de Marketing Digital em Campinas
    fotos/reprodução

  • EmCreative

    3 segredos sobre a criatividade de Walt Disney

    Aos 22 anos, Walt Disney era demitido do jornal local com a terrível justificativa de “não ser criativo o suficiente”. É difícil imaginar que uma das cabeças mais geniais de nossa história passou por isso.

    Disney chegou a ser rejeitado por não ser tão criativo mas provou para a humanidade criando um universo fantástico de sonhos que encanta gerações. O que ele precisava era lapidar seu potencial criativo. A diferença é que alguns de nós acabamos esquecendo disso ao longo da vida.

    Passamos boa parte do nosso tempo tentando desenvolver a criatividade que sempre esteve lá escondida por baixo de crenças limitantes, preconceitos e barreiras mentais.

    Você sente que isso acontece com você?

    O autor Robert Dilts estudou o processo criativo de Walt Disney no seu livro Estratégias de um gênio: volume 1 e identificou 3 papéis exercidos por Disney em suas criações:

    1. Sonhador

    Ao adotar a postura do Sonhador, Disney usava todo seu potencial de imaginação para criar as ideias mais fantásticas possíveis, sem pensar se seriam lucrativas ou viáveis.

    Tire um momento para se reconectar com o que é parecido a se imaginar livre. Agora pense sobre a visão geral do seu “sonho”. Visualize-o de forma criativa e sem inibições, como se tudo fosse possível. Considere os benefícios de alcançá-lo.

    Para ajudá-lo a pensar com mais clareza, se estiver fazendo a estratégia sozinho, faça cada pergunta em voz alta e também responda em voz alta (em cada uma das fases).

    O que eu quero?

    O que eu vou estar fazendo – e onde eu vou estar fazendo isso?

    Quando vou começar? Onde? Por quê?

    Quais são os benefícios de se alcançar isso?

    O que isso significa para mim como pessoa?

    Como é que isso vai beneficiar aqueles que estão próximos de mim?

    2. REALISTA

    Em um segundo momento, o Realista tinha que criar meios para colocar as ideias em prática, sem medir esforços para que isso acontecesse.

    Conecte-se com seus sentimentos no “modo de planejamento”. Agora, agindo como se o sonho fosse totalmente possível e viável para você, venha com um plano para torná-lo uma realidade.

    Faça isso de uma maneira prática e realista. A razão é desenvolver um plano de ação detalhado e gerenciável.

    Como posso fazer esse sonho acontecer?

    Quais são as principais partes ou seções deste sonho? Como é que eles seguem um ao outro?

    Que passos devo tomar para fazer com que cada segmento aconteça?

    Por que esse passo é necessário? E esse? E esse?

    Que recursos (tempo, pessoas, dinheiro, etc.) eu preciso para fazer isso acontecer?

    O que eu vou ver e ouvir e que será a prova de que cada pedaço foi alcançado?

    O que eu vou ver e ouvir e que será a prova de que o sonho foi alcançado?

    3. CRÍTICO

    Por fim, o Crítico entrava em cena com a intenção de lapidar, como um diamante bruto, as ideias preconcebidas.

    A primeira solução nunca era melhor na visão dele. E, conforme esse processo cíclico de criação se repetia, mais melhorias eram executadas. Lembre-se que você está agindo como um crítico construtivo.

    Quais são os pontos fracos nesse plano?

    O que está faltando?

    O que é inadequado?

    Que problemas podem ocorrer?

    Quem poderia objetar? Quem será afetado desfavoravelmente por ele?

    Quando e onde ele pode não funcionar? Ou não ser desejável?

    Mais alguma deficiência nesse plano?

    Descubra o que funciona ou não para você. Não há melhor jeito de ser mais criativo(a) do que usando a sua imaginação!

    Os 3 segredos revelados sobre a criatividade de Walt Disney via aprendeai

    Postador por Meme Digital – Agência Digital em Campinas

  • EmEspecial do dia

    4 anos de Meme Digital®

    Hoje completamos 4 anos de MEME DIGITAL ®

    Uma história que saiu do computador com ZERO reais para se tornar a agência queridinha de todos!

    Hoje superamos grandes faturamentos, já atendemos mais 100 clientes e enviamos centenas de propostas. Conquistamos muitos seguidores e temos clientes nacionais e internacionais!

    Somos uma marca registrada com crescimento de mais de 20% ao ano! Yeah!

    E claro, contamos com uma equipe completa, dedicada, corajosa e muito comprometida, que consideramos o corpo, o coração e os braços da agência, fazendo tudo funcionar em um ritmo perfeito.

    E esse é só o começo de uma grande jornada… A era digital foi o nosso passado, é o agora, e será o nosso futuro. A publicidade, o marketing e o design são as nossas paixões! Somos parte dessa nova revolução e estamos muito felizes em compartilhar esse momento com vocês! Vivaaa a MEME DIGITAL!

    Postador por Meme Digital – Agência Digital em Campinas

  • EmMeme dicas

    10 Coisas pra fazer em São Paulo em Junho

    Junho chegou! Tá procurando rolês em São Paulo neste mês? Você veio ao lugar certo! Apesar do frio, com certeza você vai conseguir aquecer o corpo e a alma!

    Anote aí na sua agenda essa lista de coisas pra fazer:

    1) Obra em Foco: Di Cavalcanti

    https://www.sescsp.org.br/files/programacao/4038b250/2d70/4a57/8b75/d1458fa692ff.jpg

    Buscando democratizar o acesso a esse precioso patrimônio, o Sesc São Caetano apresenta o projeto “Obra em Foco” que procura, a cada edição, promover ora o encontro entre artistas, ora o diálogo com outras linguagens artísticas sempre estimulando a troca de saberes e o respeito a diversidade.

    Quando? Até 31/07

    Onde? Sesc São Caetano

    2) Tarsila Popular | Exposição

    https://cdnstatic8.com/topensandoemviajar.com/wp-content/uploads/2019/04/agenda-sp-abril-2019-tarsila.jpg

    A exposição Tarsila Popular reúne cerca de 120 obras de Tarsila do Amaral no MASP, entre pinturas e desenhos.A mostra propõe um novo olhar em direção aos temas, personagens e narrativas presentes no trabalho da artista, especialmente no que diz respeito a questões políticas, sociais, raciais e de classe.

    Quando? Até 28 de julho
    Terças, das 10 às 20h. Quarta a sexta, das 10h às 19h. Sábados e domingos, das 10h às 20h.

    Onde? MASP – Av. Paulista, 1578

    Ingressos: R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia).
    Menores de 11 anos não pagam. Entrada grátis às terças-feiras.

    3) Cultura Inglesa Festival

    https://cultural.culturainglesasp.com.br/wp-content/uploads/2019/05/Home-CIF-Banner.jpg

    O Cultura Inglesa Festival é um festival de arte, cultura e entretenimento que acontece anualmente e está em sua 23a edição. O festival traz em sua programação, que é gratuita, cinema, teatro, dança, música e arte visual, em diversos espaços da cidade de São Paulo.

    Quando? Até 16/06

    Confira a programação completa no site do Cultura Inglesa Festival.

    4) Festival Varilux de Cinema Francês

    Serão exibidos diversos longas-metragens para o público adulto, juvenil e infantil, em várias salas da cidade.

    Quando? De 6 a 19 de junho

    Para conferir a programação completa acesse o site do festival.

    5) 8ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

    A Mostra Ecofalante de Cinema acontece anualmente e chega a sua oitava edição. A sua rica programação apresenta filmes nacionais e internacionais, além de debates em torno de temas como urbanização, trabalho, recursos naturais, saúde, economia, entre outros. A entrada é gratuita mediante retirada de senha a partir de uma hora antes do início de cada sessão.

    Quando? Até 10 de junho
    Onde? Centro Cultural Banco do Brasil – Rua Álvares Penteado, 112, Centro

    Confira a programação completa no site do CCBB.

    6) Dia de Praia | Teatro

    O espetáculo de palhaçaria Dia de Praia é o novo trabalho solo da atriz e palhaça Melina Marchetti, da Cia Teatral Circo Delas, com direção de Glaucy Fragoso. É gratuito e indicado para todas as idades.Em cenas quase sem falas, a palhaça Carmela decide ir à praia para se divertir e relaxar, mas além da dificuldade em encontrar um local em meio a uma praia lotada, ainda precisa lidar com o sol escaldante e sua inabilidade de manejo para montar seu cantinho de relaxamento.

    Dia 7/6, sexta, 15h e 20h, no Tendal da Lapa – Rua Guaicurus 1100, Lapa
    Dia 17/6, segunda, 15h, no Centro de Memória do Circo, Galeria Olido – Av. São João, 473, Centro
    Dia 22/6, sábado, 19h, Circo Teatro Palombar, Instituto Pombas Urbanas – Av. dos Metalúrgicos, 2100, Cidade Tiradentes

    7) As Cangaceiras, Guerreiras do Sertão | Musical

    O musical, As Cangaceiras, Guerreiras do Sertão, conta a história de um grupo de mulheres que se rebelam contra mecanismos de opressão encontrados no Cangaço, e encontram, umas nas outras, a força para seguir.O espetáculo reflete sobre o conceito de justiça social que o Cangaço representava e também sobre as forças do feminino nesse espaço de libertação e sobre a ideia de cidadania e heroísmo. Alguns nomes do grande elenco são: Amanda Acosta, Marco França, Vera Zimmermann, Carol Badra e Luciana Lyra. O espetáculo é gratuito e os ingressos podem ser reservados aqui. Os ingressos remanescentes são distribuídos 15 minutos antes do espetáculo.

    Quando? Até 4 de agosto
    Quinta a sábado, às 20h. Domingo, às 19h.

    Onde? Teatro do Sesi – Av. Paulista, 1313 ( em frente a estação Trianon-Masp do metrô)

    Classificação indicativa: 12 anos

    8) O Pirotécnico Zacarias – Murilo Rubião 100 anos | Teatro

    A nova montagem do grupo teatral mineiro Giramundo aproxima o teatro de bonecos do cinema e da animação, integrando imagens reais e imagens pré-gravadas. Marionetes, máscaras, sombras e filmes, imersos no realismo mágico de Murilo Rubião, questionam a possibilidade de compreensão da realidade e comemoram o centenário do autor.

    Quando? Até 24 de junho
    Sexta, sábado e segunda, 20h. Domingo, 18h.

    Onde? CCBB – Rua Álvares Penteado, 112, Centro

    9) 23ª Parada do Orgulho LGBT

    Considerada uma das maiores Paradas LGBT do mundo a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, realizada pela ONG APOGLBT SP, acontece domingo, dia 23 de junho, na Avenida Paulista. O tema da Parada LGBT 2019 é 50 anos de Stonewall – Nossas conquistas, nosso orgulho de ser LGBT+.

    Quando? Dia 23 de junho
    Domingo, das 10h às 18h

    Onde?Avenida Paulista

    10) Festas Juninas

    Não pode faltar uma boa quermesse este mês. Confira algumas festas juninas com entrada gratuita:

    CENTRO

    🔴 Festa Junina da Paróquia Nossa Senhora da Consolação

    Quando? De 1/6 a 30/6
    Sextas e sábados das 17h às 0h e domingos das 17h às 23h.

    Onde? Paróquia Nossa Senhora da Consolação – Rua da Consolação, 585 (Praça Roosevelt)

    ZONA LESTE

    🔴 Paróquia San Gennaro

    Quando? Dias 1/6, 8/6, 15/6, 22/6 e 29/6
    Sábados, das 18h às 0h

    Onde? Paróquia San Gennaro – Rua San Gennaro, 214, Mooca

    ZONA NORTE

    🔴 São João de Nóis Tudim

    Quando? De 1/6 a 30/6
    Sábados e domingos, das 14h às 22h

    Onde? CTN – Rua Jacofer, 615, Bairro do Limão

    ZONA OESTE

    🔴 Festa Junina na Vila Madalena

    Quando? Dia 1/6
    Sábado, das 11h às 21h

    Onde? Armazém da Cidade – Rua Medeiros de Albuquerque, 270, Vila Madalena

    🔴 Arraiá na Praça

    Quando? Dias 8/6 e 9/6
    Sábado e domingo, das 12h às 0h

    Onde? Praça Victor Civita – Rua Sumidouro, 580, Pinheiros

    🔴 Festa Junina no Parque da Água Branca

    Quando? 8/6 e 9/6
    Sábado e domingo, das 10h às 20h

    Onde? Parque da Água Branca – Av. Francisco Matarazzo, 455

    🔴 Arraial da Vila Butantan

    Quando? Dias 15/6 e 16/6
    Sábado, das 12h às 22h. Domingo, das 12h às 21h.

    Onde? Vila Butantan – Rua Agostinho Cantu, 47 – Butantã

    ZONA SUL

    🔴 Festa Junina Vegana Vegnice 2019

    Quando? De 1/6 a 30/6
    Sábados e domingos, das 12h às 21h

    Onde? Rua Dr. José de Queiroz Aranha, 92, Vila Mariana

    🔴 Arraiá de Moema

    Quando? Dias 8/6 e 9/6
    Sábado, das 10h às 22h. Domingo, das 10h às 20h.

    Onde? Praça Nossa Senhora Aparecida, Moema

    🔴 Festa Junina Santíssimo Sacramento

    Quando? De 1/6 a 16/6

    Onde? Sábados, das 16h às 23h. Domingos, das 12h30 às 22h.
    Rua Tutóia, 1125, Paraíso

    Redação Meme Digital – Agência de Marketing Digital em Campinas
    fotos/reprodução

  • EmArte e Cultura

    Fotógrafa tira selfies com celebridades que já se foram

    Viagem no tempo? Não, é Photoshop! A fotógrafa Flóra Borsi, de 26 anos, criou uma série de montagens em preto e branco com celebridades que já não estão mais entre nós. O que chama atenção é quão realistas ficaram as fotos que, além de passarem pelo programa de edição de imagens, tiveram um estudo bem detalhado na pré produção: as posições de suas selfies e o figurino, por exemplo, ajudaram no resultado final.

    “Fiz pesquisa dos estilos de moda e cabelo apropriados, depois analisei os artefatos de iluminação, perspectiva e profundidade de cada imagem. Depois disso, tirei fotos correspondentes com os mesmos critérios técnicos”, explica.

    Recriando perfeitamente o estilo de cada época e situação, Flóra dá um impressionante show de edição que nos faz acreditar que ela realmente esteve com diversos ícones. Confira:

    E você, se pudesse viajar no tempo e encontrar com uma celebridade que já morreu para tirar uma selfie, quem escolheria?

    Postador por Meme Digital – Agência Digital em Campinas

  • EmCreative

    Músicos tocam instrumentos feitos de gelo em ação do Greenpeace

    Em mais uma ação para conscientizar o público dos efeitos e perigos da fragilidade cada vez maior do meio ambiente frente o aquecimento global, o Greenpeace decidiu ir até o Ártico para criar um show… feito de gelo. A convite da entidade, quatro músicos viajaram até a região para fazer uma performance da canção “Memórias do Oceano” com instrumentos feitos do material, uma condição só possível graças às baixas temperaturas do continente – que chegam a fica abaixo dos -12 graus Celsius.

    Com sinos, cornetas, um violoncelo e um instrumento de percussão construídos primariamente de gelo, o espetáculo foi feito para divulgar uma petição da própria ONG que clama aos governantes ao redor do globo que ajudem na criação de um tratado pela preservação dos oceanos, especialmente no advento de novas regulações que protejam pelo menos 30% das águas até o ano de 2030.

    A campanha não vem sem motivo. A região do Ártico em 2019 vem vivendo até o momento o seu pior ano em termos de degelo, com a temperatura média de seus mares tendo chegado a ficar 8 graus acima do normal nestes quatro primeiros meses. “Ao jogar os holofotes sobre o oceano Ártico e a perda de gelo, nós queremos enfatizar a necessidade imediata por santuários oceânicos não apenas para o polo norte, mas para o planeta inteiro” declara o ativista oceânico Halvard Raavand sobre a ação; “Ao longo do próximo ano, os governantes estão negociando com as Nações Unidas para um Tratado Global dos Oceanos que pode pavimentar o caminho para a criação de uma rede de santuários oceânicos”.

    Além da performance musical (que você pode conferir na íntegra acima), o Greenpeace ainda pretende realizar no próximo ano a sua mais ambiciosa expedição, uma viagem de polo a polo que parte do Ártico e cobre todos os mares fora das regiões nacionais.

    Você pode assinar a petição aqui.

    Músicos tocam instrumentos feitos de gelo em ação do Greenpeace para preservação dos oceanos via b9

    Postador por Meme Digital – Agência Digital em Campinas

  • EmMeme dicas

    5 Dicas valiosas para quem quer deixar a procrastinação de lado

    Há quase três anos eu comprei um computador novo. Quando transferi todos os arquivos do computador antigo para o novato, criei uma pastinha no desktop chamada “COMPUTADOR VELHO PFVR ARRUME”, assim mesmo, com tudo em caixa alta, para que eu organizasse meus documentos decentemente e sem demora. A pasta continua lá.

    Tudo bem que eu passo semanas sem ligar meu computador em casa, mas não posso dizer que não tive tempo de organizar os documentos. Admito aqui que isso acontece por um simples motivo: eu sou uma procrastinadora, arrumo desculpas para não precisar fazer algumas coisas e, no fundo, isso me incomoda.

    Uma publicação recente do The Wall Street Journal me deixou quase disposta a chegar em casa hoje e resolver esse problema. Ou a ligar para o consultório médico de uma vez e marcar aquela consulta que já está com uns dois meses de atraso. Por mais que eu saiba que sou procrastinadora, não significa que eu goste de procrastinar. Na verdade, eu odeio.

    A publicação em questão me fez perceber o óbvio: essa coisa de deixar algumas tarefas para depois deve ter alguma explicação psicológica e, uma vez que exista a explicação, fica mais fácil descobrirmos como resolver o problema. Três experts no assunto, Timothy Pychyl, Piers Steel e Alexander Rozental, reuniram cinco passos fundamentais para quem quer deixar de empurrar as coisas com a barriga. Se você é do tipo que também quer resolver alguma coisa de vez, confira as dicas abaixo:

    1 – Seja específico

    deixar a procrastinação de lado - daria

    Tudo bem, você tem um grande plano e ele não dá certo. O ideal a fazer aqui é desmembrar esse objetivo em pequenas metas específicas e detalhadas. Em vez de dizer que amanhã você vai fazer determinada atividade, especifique como será, onde será, quanto tempo vai levar e em que horário acontecerá.

    2 – Faça de uma vez

    deixar a procrastinação de lado - amy

    Em vez de listar tudo o que precisa ser feito e esperar ter uma relação completa de tarefas antes de começar a fazer alguma coisa, simplesmente faça o que vier primeiro à sua mente na medida em que vai se lembrando de cada coisa.

    3 – Mude de ponto de vista

    deixar a procrastinação de lado - tentando alcançar

    Olhar situações por outras perspectivas é sempre um bom exercício. No que diz respeito à procrastinação, tente reclamar menos do que precisa ser feito e se apegar ao fato de que, no futuro, você vai agradecer a si mesmo pela iniciativa que tomou agora.

    4 – Encontre um jeito de sabotar a procrastinação

    deixar a procrastinação de lado - homer simpson com ele mesmo

    Se você é do tipo que, enquanto está fazendo uma pesquisa importante na internet, aproveita para deixar uma aba com aquele seu site favorito de jogos, mesmo sabendo que jogar, naquele momento, só vai atrapalhar todo o seu processo, experimente não deixar suas senhas salvas no site do jogo – acredite ou não, mas o “trabalho” de ter que digitar nome de usuário e senha pode fazer você desistir de jogar e, consequentemente, priorizar o que é mais importante.

    5 – Estipule uma recompensa

    deixar a procrastinação de lado - chuva de dinheiro no gato

    Da mesma forma que o cachorrinho aprende a fazer xixi no jornal depois de ganhar petisco sempre que acerta o alvo, você pode estipular uma recompensa para quando conseguir fazer algo que vinha adiando há muito tempo. Lógico que não estamos dizendo que pessoas são iguais a cachorros, mas a questão do “prêmio” funciona de maneira parecida em ambos os casos. Não custa tentar.

    Por que deixar de procrastinar?

    Ainda que todos sejam procrastinadores, em maiores ou menores níveis, é preciso entender que há questões emocionais por trás desse eterno adiamento das coisas, especialmente em procrastinadores crônicos. Quando a coisa vai além de uma pasta de computador ou de uma consulta médica, por exemplo, relações interpessoais, amorosas e profissionais podem ser prejudicadas.

    Uma das pessoas que estudam esse aspecto crônico e mais perigoso da procrastinação é a psicóloga inglesa Dra. Fuschia Sirois. Ainda não se sabe muito a respeito dos efeitos físicos sentidos por quem procrastina demais, mas já se sabe que os cardíacos e hipertensos são menos propensos a procurar maneiras de entender por que deixam tudo para depois, afinal, isso às vezes significa reavaliar informações pessoais delicadas. Em vez de buscar resolver os problemas, essas pessoas tendem a dar desculpas.

    Para os pesquisadores do assunto, o grande problema dos procrastinadores é que, diferente das demais pessoas, eles nem sempre conseguem enxergar aquilo que precisam fazer agora como algo que vai trazer benefícios no futuro e, de fato, se não vemos como algo poderá ser útil um dia, podemos perder o interesse nesse assunto.

    Vale sempre lembrar que já é comprovado que procrastinadores são pessoas mais ansiosas, mais depressivas e que reportam sensações de mal-estar com mais frequência. Se você acha que o seu caso é mais grave e não pode ser resolvido com as dicas acima, a recomendação é a de procurar ajuda psicológica. Autoconhecimento não faz mal a ninguém nem é qualquer demérito, hein!

    P.S: Terminei este texto e, antes mesmo de revisá-lo, marquei a consulta médica que estava adiando. Penso seriamente em encarar a pasta do computador quando voltar para casa.

    5 Dicas valiosas para quem quer deixar a procrastinação de lado via Mega Curioso

    Postador por Meme Digital – Agência de Marketing Digital em Campinas / São Paulo

  • EmMarketing Digital

    Empresas Com Maturidade Digital Lucram Mais e Gastam Menos

    Jornada do cliente, interações multicanal, conteúdo programático, personalização. Se você trabalha com marketing data-driven, certamente já usou ou ouviu esses termos. Hoje em dia, todas as empresas – dentro e fora do Brasil – adotam o discurso digital, incluindo esses nomes em apresentações, reuniões e seminários. Mas será que elas estão preparadas para essa realidade? Elas são data-driven de verdade?

    Para entender esse cenário, o Google se uniu ao Boston Consulting Group (BCG), uma empresa global de consultoria de gestão e líder em estratégia de negócios, para fazer um estudo inédito sobre o nível de maturidade das empresas brasileiras no campo do marketing data-driven.

    Esse estudo, chamado “Uma Perspectiva Brasileira: A Jornada do Marketing Orientado por Dados”, foi feito junto a algumas das principais empresas do país, muitas delas líderes nos seus ramos de atividade. A ideia era entender como elas interligam dados, como buscam a automação de processos e como fazem a tecnologia trabalhar para melhorar resultados.

    Como vamos ver, esse levantamento deixa claro que a busca da maturidade data-driven pode trazer resultados concretos, com mais lucro e menos despesas. Só que as empresas do Brasil ainda têm um longo caminho pela frente até aproveitar todas essas oportunidades.

    Maturidade traz oportunidade e resultados

    O marketing digital pode não ser novidade no Brasil, mas os investimentos feitos por aqui ainda são tímidos, se comparados com os de outros países.

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos 1

    Isso ocorre mesmo quando as oportunidades do digital são imensas. Uma pesquisa feita há pouco tempo com mais de 3 mil brasileiros, por exemplo, mostrou que as pessoas são muito receptivas aos anúncios digitais, especialmente quando são de temas do seu interesse.

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos 2

    E qual é o motivo para não se investir mais? Parte da resposta está na falta de maturidade das organizações de marketing, que não estão 100% preparadas para ações digitais eficientes.

    Para olhar mais fundo dentro desse problema, o Google e o BCG desenvolveram um modelo que situa as empresas em termos de marketing data-driven. Antes de ser trazido ao Brasil, esse modelo foi aplicado no mercado europeu. Uma série de workshops ajudou a definir essa estrutura, e cerca de 40 especialistas foram entrevistados para testá-la.

    Segundo esse modelo, existem quatro estágios diferentes de maturidade em que as empresas podem estar quanto ao uso de dados em marketing:

    1. Nascentes: nível mais básico, em que empresas fazem campanhas usando dados de clientes gerados e mantidos por terceiros, com baixa ligação a resultados;
    2. Emergentes: empresas fazem campanhas baseadas em dados de consumidores gerados e mantidos pela própria empresa, além da compra de mídia programática;
    3. Conectadas: empresas mantêm dados integrados e ativados ao longo de múltiplos canais, com conexão clara a ROI e resultados de vendas;
    4. Multimomento: nível mais evoluído, em que empresas têm execução otimizada e personalizada baseada no resultado individual de cada cliente, em todos os canais.

    A partir do estudo feito no mercado europeu, o Google e a BCG apuraram que as empresas que avançam até o estágio Multimomento podem ter um aumento de 20% nas receitas e uma redução de até 30% nos custos.

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos 3

    Brasil, um país de emergentes

    Aqui no Brasil, esse estudo foi feito em 2018 com pesquisas quantitativas e qualitativas junto a executivos de mais de 60 das principais empresas do país, dentro de 10 setores: Automotivo, Alimentos & Bebidas, Cuidados Pessoais, Educação, Empresas Digitais, Serviços Financeiros, Telecom & Mídia, Varejo, Viagens & Turismo e Vestuário.

    O resultado mostrou que as companhias têm espaço para evoluir. Das participantes, 61% ainda são Nascentes ou Emergentes. A maioria (55%) foi classificada como Emergente, enquanto 37% ficaram em Conectado, 6% em Nascente e apenas 2% em Multimomento.

    A distribuição das empresas pesquisadas em cada estágio de maturidade é semelhante entre Brasil e a Europa, onde o estudo foi feito antes. A principal diferença fica no número de emergentes, que, entre as europeias, chega a quase metade das participantes do estudo.

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos 4

    O maior destaque em termos de maturidade no Brasil ficou com as empresas consideradas “nativas digitais” – ou seja, que têm mais de 90% de suas vendas em canais online. Em seguida, vêm a indústria automotiva e as empresas de serviços financeiros. Já as dos setores de Viagens & Turismo e de Alimentos & Bebidas foram as menos adiantadas.

    Desafios a superar, barreiras a ultrapassar

    Alguns dos números levantados pelo Google com o BCG deixam claros alguns desafios que as companhias brasileiras precisam superar em termos de marketing data-driven. Aqui estão os principais itens a melhorar, segundo o estudo:

    • Targeting baseado em dados

    Interligar informações online e offline é fundamental para gerar insights e fazer um acionamento preciso dos consumidores de uma maneira data-driven. Mas 77% das empresas participantes do estudo fazem interligações apenas parciais de dados, ou não têm dados interligados.

    Os executivos explicam que um dos motivos dessa baixa integração é a pulverização de informações dos clientes em bases diferentes. Para as empresas, isso torna mais difícil ter uma visão abrangente dos consumidores na sua jornada de relacionamento.

    • Ativação automatizada e personalizada

    As empresas brasileiras ainda usam muito os processos manuais para comprar mídia e entregar mensagens personalizadas. Dois terços das empresas fazem algum tipo de compra programática de mídia, mas só 13% delas usam técnicas avançadas de automatização, como bids automatizados com dados de níveis de estoque, por exemplo.

    Quanto à customização, 67% não personalizam seu principal canal online, e apenas 9% usam técnicas avançadas de personalização. A maioria tem pouca ou nenhuma automação nas mensagens personalizadas, seja em display, vídeo, search, e-mail ou redes sociais.

    • Mensuração e atribuição de valor

    Uma das maneiras de maximizar retorno é medir, atribuir e gerenciar a performance ao longo de todos os touch points com o consumidor. Mas isso aparentemente ainda não é uma realidade para as empresas brasileiras.

    A maioria das empresas entrevistadas usa métodos tradicionais e menos sofisticados de mensuração. Enquanto 52% delas dizem adotar modelos de atribuição, a maior parte recorre a métodos simples, que podem distorcer resultados.

    • Organização e colaboração

    O ambiente de negócios exige cada vez mais velocidade de reação e atuação conjunta entre as diferentes áreas das empresas. Ainda assim, 70% das companhias que participaram do estudo dizem que a coordenação entre seu marketing e os demais times não é boa.

    Além disso, 42% das empresas indicaram que a maior parte de suas operações de marketing é executada por suas agências. Essa dependência dificulta o controle da execução das ações digitais e prejudica o desenvolvimento de competências dentro das empresas.

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos5

    Os seis viabilizadores da maturidade

    Como as empresas brasileiras podem superar esses desafios e viabilizar a sua maturidade data-driven? Os autores do estudo do Google e do BCG apontam alguns caminhos.

    1) Conectar dados online ou off, entre diversas áreas da empresa, para se ter uma ideia mais completa de quem são os consumidores. Plataformas de gestão e estruturas data lake – repositórios de todos os tipos possíveis de dados em “estado bruto” – são alguns dos caminhos possíveis para chegar a esse objetivo.

    2) Viabilizar a automação e tecnologia integrada, construindo ferramentas que levem à automação dos dados e disponibilizem conteúdos customizados em escala. Entre as soluções usadas pelas empresas maduras, estão web analytics capabilities, tecnologia de publicidade integrada e automação para personalização de mensagens.

    3) Ter métricas acionáveis para que anunciantes identifiquem o valor das ações das pessoas ao longo da jornada de compra. Assim, as ativações dos clientes são conectadas com os resultados da empresa, como impacto nas vendas e lucro, permitindo, por exemplo, medições de ROI em tempo real dos investimentos em publicidade.

    4) Fazer parcerias estratégicas, buscando uma colaboração entre empresa, agências e provedores de tecnologias. Algumas empresas adotam mesas de performance dentro de suas sedes, com profissionais das agências trabalhando lado a lado com suas equipes.

    5) Desenvolver competências estratégicas, identificando, contratando e treinando talentos como data scientists e especialistas, e fazendo-os trabalhar junto dos demais membros das áreas de marketing e negócios, como verdadeiros times multifuncionais e integrados.

    6) Criar a cultura do “testar e aprender, falhar rápido”, buscando ciclos mais curtos de planejamento e execução de projetos. Nisso, a prática de teste e aprendizado pode trazer uma execução mais eficiente: a ideia é aprender, falhar, otimizar e seguir em frente.

    Evoluindo de estágio em estágio

    Já vimos que buscar a maturidade no marketing data-driven traz resultados, e que alguns fatores viabilizam essa jornada. Mas no nível organizacional, como as empresas precisam se estruturar para passar de um estágio a outro? Os autores da pesquisa usaram os dados levantados para criar um roteiro de três etapas, com metas que precisam ser atingidas.

    1. Do nascente ao emergente: crie as fundações. Para mudar a forma de trabalhar, é fundamental o apoio da alta gestão e o envolvimento de áreas que ajudem a adotar práticas data-driven, como RH, jurídico e financeiro. Pode haver a busca de apoio externo, como consultorias. Já as áreas técnicas precisam identificar os problemas atuais e viabilizar que os dados virem planos.
    2. Do emergente ao conectado: construa conexões. Essa fase exige que as empresas comecem a coordenar vários canais, gerando receita e buscando executar melhor a mídia. Na maioria dos cases de sucesso, equipes multifuncionais combinam especialidades como criação, conteúdo, operações e redes sociais, com uma colaboração entre online e off.
    3. Do conectado ao multimomento: faça cada momento valer. Para acompanhar a velocidade do digital, as empresas precisam ser ágeis, com ações coordenadas. As que fazem isso da maneira certa impulsionam as vendas usando vários canais e personalizando as experiências de clientes, além de reduzir custos através de tecnologias sofisticadas, como técnicas de automação. Aqui, os objetivos técnicos precisam entrar nos KPIs do negócio.

    Com as experiências digitais mudando cada vez mais rápido, e com clientes mais e mais exigentes, manter relacionamentos digitais é um desafio e tanto. Trabalhar melhor os dados pode ajudar nisso, mas vimos que esse esforço exige mudanças, muitas vezes causando verdadeiras revoluções na cultura das empresas. O estudo que apresentamos mostra um caminho para isso. Você está pronto para segui-lo?

    Empresas com maturidade digital lucram mais e gastam menos via Think With Google

    Postador por Meme Digital – Agência Digital em Campinas